(11) 3024-3100

Avaliação de Risco Ecotoxicológico

A Avaliação de Risco Ecotoxicológico é uma ferramenta utilizada para se estimar o perigo ao meio ambiente e (de forma indireta) à saúde humana, que um determinado contaminante e/ou resíduo perigoso possa causar em determinadas situações, como também para tomar decisões de gerenciamento ambiental, elaborar ações corretivas e/ou emergenciais, e quantificar metas de remediação específicas para a área de interesse. A caracterização ecotoxicológica deve ser realizada para complementar a caracterização física e química, com a finalidade de avaliar os impactos potenciais à vida aquática.

A Avaliação de Risco Ecotoxicológico investiga as evidências existentes no que se refere ao potencial de um elemento, composto químico, agente físico ou biológico, de causar efeitos adversos a organismos e ecossistemas expostos à toxicidade ou degradação, e prover, quando possível, uma estimativa da relação entre a extensão da exposição ou degradação e o aumento da probabilidade ou severidade de efeitos adversos.

Esta tecnologia também fornece um elemento crítico para tomada de decisão dos responsáveis pelo gerenciamento e problemas ambientais, fazendo com que a abordagem do problema leve em conta, as informações científicas disponíveis, combinadas com fatores sociais, legais, políticos e econômicos, na seleção de modos de ação.

O Risco Ecotoxicológico pode ser expresso de várias maneiras. Enquanto algumas avaliações provêm uma estimativa probabilística de efeitos adversos e exposição a certos elementos, outras podem ser deterministas ou nivelar qualitativamente através de coletas. Nestes casos, a probabilidade de efeitos adversos é expressa através de comparações semiquantitativas ou qualitativas de efeitos a exposição.

A Avaliação de Risco Ecotoxicológico, assim como Avaliação de Risco Humano, é baseada em dados científicos que são freqüentemente difíceis e complexos, conflitantes ou incompletos. A análise de tais dados para a avaliação de risco depende de julgamento profissional baseado em perícia científica. O julgamento profissional é necessário para: delinear e conceitualizar a avaliação de risco; avaliar e selecionar métodos e modelos; determinar a relevância dos dados disponíveis para a avaliação de risco; desenvolver suposições baseadas na lógica e princípios científicos para preencher as lacunas de informação; e interpretar a importância ecológica de efeitos previstos ou observados.

O processo estratégico de avaliação deve considerar as variáveis físicas e químicas que atuam na distribuição das substâncias antrópicas no ambiente e buscar metodologias de alerta para avaliar conseqüências biológicas de suas interações nos diferentes compartimentos ambientais, incluindo saúde humana.

Veja também

Solicite uma proposta