(11) 3024-3100

Cetesb informa que Mogi das Cruzes tem 70 áreas contaminadas

25/02/2016 15:30

Uma das áreas mais problemáticas fica na Volta Fria.
Outro local está situado no bairro São João.

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) informou que Mogi das Cruzes possui 70 áreas com registro de cotaminação. Segundo levantamento, alguns terrenos estão na relação desde 2001. A Agência Ambiental do Estado de São Paulo é quem tem a responsabilidade desse tipo de fiscalização. Algumas dessas áreas já passam pelo processo de descontaminação. O gerente da Cetesb em Mogi das Cruzes, Edson Santos, disse que relatórios são passados ao Ministério Público.

"O Ministério Público aguarda uma informação do que está ocorrendo dando risco a população para ele tomar medidas judiciais", explica Edson Santos Uma das maiores áreas contaminadas está no bairro São João, próximo ao centro da cidade. São cerca de 12 mil metros quadrados. No local, eram produzidas máquinas de costura.

O ambientalista Silvio Pomaro esteve no local para explicar melhor essa contaminação. Eles explica sobre a instalação de poços na calçada para monitorar a área. "Aqui como sabemos sobre metais pesados e líquidos então não sabemos a extenção disso. Por isso instalam-se estes poços de monitamento", explica.

Quem passa pelas calçadas da antiga fábrica pode observar poços de monitoramento espalhados pelo quarteirão. Isso mostra a gravidade da situação.

Na avaliação da Cetesb a maior contaminação na cidade é em uma área próxima a Estrada da Volta Fria. Em setembro de 2010 vazaram no solo 180 mil litros de gasolina da transpetro, subsidiária da petrobrás. A empresa já foi multada e o terreno passa por processo de descontaminação. "A Cetesb aplicou uma penalidade na Transpetro de cerca de R$ 20 mil por não estar a remediação dentro do que estabelece a legislação. Mas não está paralisado", explica Edson.

Mogi ainda tem uma outra área que chama a atenção. É um espaço de mata, na Vila Industrial. Também está na lista. O local possui no solo alguns resíduos que, segundo ambientalistas, foram depositados por uma siderurgica. "A área deve ser isolada e não deve ser usada", detalha. 

Segundo a Cetesb, o processo de remediação da área da Vila Indústrial vem sendo feito e é acompanhado pela companhia. A área que fica no bairro São João, mudou de dono, mas a descontaminação continua.

Sobre o vazamento de gasolina, na área da volta fria, a Transpetro, informou que o problema foi provocado pela ação inadequada de uma motoniveladora da Prefeitura de Mogi das Cruzes, mas que apesar disso, equipes da transpetro continuam trabalhando no local, em alinhamento com os procedimentos determinados pela cetesb em relação a gerenciamento de áreas contaminadas.

Fonte: G1

Veja também